Vereador condenado por mandar ‘nudes’ aliciando menina de 12 anos

0
88
"Nudes" eram enviados pelo WhatsApp, segundo a mãe (Foto: Fábio Tito/G1)

Ele era meu amigo, sempre fiz campanha para ele. Ele conheceu minha filha na minha barriga, éramos muito amigos”. A fala é da auxiliar de cozinha, mãe da adolescente que recebeu “nudes” de um vereador de Sena Madureira, no interior do Acre.

O caso ganhou repercussão após ser publicado no site do Tribunal de Justiça na última terça-feira (5). O processo segue em segredo de justiça e, por isso, a identidade dos envolvidos não é revelada.

O parlamentar foi condenado a 2 anos e 6 meses, que foram revertidos em serviços comunitários. Além disso, o vereador deve pagar indenização em dinheiro à vítima no valor de 50 salários mínimos vigentes – o que equivale a R$ 46.850.

O G1 entrou em contato com o acusado, que também é advogado, mas não obteve retorno. À Rede Amazônica Acre, ele disse que não se posicionaria sobre o assunto.

Na época em que era aliciada pelo vereador, de acordo com o TJ, a menina tinha apenas 12 anos recém-completados. Ao G1, a mãe contou como descobriu as fotos e também revelou que a menina precisou fazer acompanhamento com o psicólogo.

A auxiliar de cozinha disse que, por acaso, mexendo no celular da menina, viu que o contato do parlamentar estava bloqueado no WhatsApp. Ela estranhou e foi questionar a menina sobre o motivo de ela ter bloqueado o homem, já que ele era amigo da família.

“Ela começou a chorar e disse que ele tinha mandado algumas coisas que ela tinha apagado. Sem acreditar, pedi que ela desbloqueasse o número dele e de repente chegaram várias fotos dele de todo jeito. Eram fotos bem pesadas”, revela.

A surpresa da mãe se deu porque, segundo ela, o vereador acompanhou sua gravidez e frequentava a sua casa constantemente. Inclusive, a mãe da adolescente trabalhou várias vezes pedindo voto para que ele chegasse até a Câmara da cidade.

Após ver todas as fotos enviadas para a menina, a mãe disse ao vereador que teve acesso a tudo que ele tinha mandado. Ela diz ainda que ele tentou sair da situação, mas o aliciamento estava claro.

“Era cada conversa, ela me contou tudo chorando. Se ele tivesse apaixonado pela minha filha, uma criança, poderia até me esforçar para entender. Mas, fazer o que ele fez com uma criança, é inaceitável”, desabafa.

A menina, hoje com 16 anos, disse à mãe que não contava sobre as investidas do vereador porque tinha medo de que ela não acreditasse, já que era bastante amiga dele. A adolescente precisou fazer acompanhamento psicológico.

Os “nudes”, segundo a denúncia, foram enviados pelo WhatsApp com um pedido de que a adolescente também mandasse fotos sem roupa. O juiz Fábio Farias destacou em sua decisão que a ação foi confirmada por testemunhas, provas documentais e ainda por atendimento psicossocial e laudo técnico pericial realizado no celular da adolescente.

 G1