Polícia Civil desarticulou uma organização criminosa em que donos de ferros-velhos de Muriaé, na Zona da Mata, pagavam R$ 2.000 por automóveis roubados na capital

0
87
Um dos suspeitos foi detido em Belo Horizonte e apresentado pela Polícia Civil

Parte dos roubos e furtos de carros que acontece em Belo Horizonte não alimenta o mercado ilegal da região metropolitana. Nesta sexta-feira (21), a Polícia Civil explicou que, em Muriaé, na Zona da Mata, quatro homens, que eram donos ou gerentes de ferros-velhos, pagavam até R$ 2.000 para que um rapaz da capital levasse para eles carros roubados que seriam desmanchados para revenda. Só este homem teria roubado dez veículos nos últimos seis meses. Cinco pessoas foram presas semana passada por envolvimento no crime.

O suspeito, de 27 anos, conhecido como Vitinho, foi preso enquanto levava mais uma “encomenda” para os receptadores. Segundo o delegado Ângelo Ramalho, da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, ele era o responsável por “agenciar” os roubos em Belo Horizonte, inclusive contratando os assaltantes.

“Vitinho era responsável também por intermediar o transporte dos veículos para Muriaé e cidades vizinhas. Ele ia num veículo lícito à frente dos carros que eram levados pela organização criminosa, vigiando barreiras policiais”, explicou o delegado.

Em Muriaé, foram presos o dono do Ferro Velho Brasil, de 47 anos e o filho dele, de 25, que era gerente do estabelecimento. Além dos dois, a Polícia Civil também deteve o dono do Ferro Velho Muriaé, de 48 anos, e o gerente do comércio de 28.

Lucros

De acordo com os investigadores, os muriaenses lucravam R$ 10 mil revendendo as peças de cada carro que Vitinho roubava para eles. Alguns roubos eram encomendados de forma específica. “Às vezes, ele tinha que roubar ou furtar um determinado veículo solicitado pelos donos dos ferros-velhos.

Crimes. Os detidos em Muriaé responderão pelos crimes de receptação de produto roubado. Vitinho responderá também por roubo e furto de veículos. Ele já tinha passagens por este mesmo crime.

Bruno Inácio/ O Tempo

Um dos suspeitos foi detido em Belo Horizonte e apresentado pela Polícia Civil