Compra da Eletropaulo faz da Energisa a maior distribuidora do Brasil

0
176
Eletropaulo

A Energisa (ENGI11), companhia de distribuição e geração de energia controlada pelo empresário mineiro Ivan Botelho, fez oferta pública firme de aquisição de ações (OPA) da Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo (ELPL3), disposta a pagar R$ 19,38 por ações. Se a oferta for aprovada (está 0,67% acima do maior valor negociado na Bovespa ontem, de R$ 19,25) o grupo Energisa desembolsa R$ 3,243 bilhões e se torna o maior distribuidora de energia da América Latina.

Energisa

A operação de oferta está sendo coordenada pela corretora Citigroup e o grupo Energisa tem garantia de financiamento do Citigroup. A Energisa possui 6 milhões de clientes em Minas Gerais, Nova Friburgo, Paraíba, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins, atendendo a uma população na casa de 16 milhões de habitantes. Já a Eletropaulo Metropolitana, que é a maior distribuidora de energia do país e da AL, atua na capital paulista e mais 23 municípios da Grande São Paulo, uma população acima de 21 milhões. As duas empresas são centenárias.

Eletropaulo

A Eletropaulo desde 2003 era controlada pela americana AES, que há muito quer deixar o Brasil. O BNDES detém 18,73% do controle da Eletropaulo Metropolitana. No ano passado, o faturamento da Eletropaulo foi de US$ 4 bilhões. A empresa foi criada, originalmente em 1899, como a The Sao Paulo Railwail Light Power Company Limited, que teve seu controle vendido em 1923 para a Brazilian Traction Light and Power Co. A empresa é transferida em 1956 para o Grupo Brascan, que também controlava a Light Rio. As duas empresas foram vendidas ao governo brasileiro em 1979. Em 1981, a parte paulista é transferida ao governo de São Paulo.

BNDES

No processo de privatização iniciado em 1997, a Eletropaulo sofreu uma cisão, sendo criadas três empresas. A parte de distribuição de energia ficou com a Eletropaulo que foi adquirida no ano seguinte pelo consórcio formado pela americana AES Corp, a Eletricité de France (EDF), a CSN e a Relyant Energia. Em 2001 a AES consolida o controle, mas dois anos depois, com a crise da empresa nos Estados Unidos, uma nova empresa é criada, com a AES transferindo todas as suas filiadas para a nova AES Eletropaulo, tendo o BNDES como sócio.

Força e Luz

Criada em 1907 como Companhia Força e Luz Cataguases-Leopoldina, o grupo que controla a Energisa é uma das mais antigas e sólidas companhias de capital aberto do Brasil, que tem à frente do Conselho de Administração o empresário mineiro Ivan Botelho. Na operação surge o mais forte grupo privado de distribuição de energia do país e da América Latina, com mais de 36 milhões de pessoas atendidas em oito estados brasileiros

Jornal do Brasil