45% do valor da conta de luz são impostos

0
119
45%

45% do valor da conta de luz são impostos que o governo cobra sem dar retorno. Em entrevista coletiva realizada dia 20 de junho na sede da Energisa MG, o presidente da empresa, Eduardo Mantovani falou sobre a eficiência energética. Falou sobre as perdas de energia. Explicou como a inadimplência incide na conta. Observou que a Energisa MG erra quase nada na emissão das contas 440 mil contas que emite. Sugeriu o debito em conta coimo forma de facilitar o pagamento.

Imprensa

Para estreitar o relacionamento com a imprensa e apresentar um pouco mais sobre o setor elétrico, os principais investimentos, ações realizadas e também explicar como funciona o processo de reajuste tarifário, Eduardo Mantovani, diretor-presidente, e Fernando Costalonga, diretor Técnico e Comercial, receberam nesta quarta-feira, 20 de junho, os jornalistas da área de concessão. O encontro reuniu também os conselheiros do Conselho de Consumidores da Energisa Minas Gerais.

Um dos principais assuntos abordados foi o índice de reajuste tarifário da Energisa Minas Gerais, homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O efeito médio a ser percebido pelos consumidores será de 12,05%, ou seja, uma elevação tarifária a partir de 22 de junho de 2018. Em resumo, o efeito médio total a ser observado pelos consumidores da Energisa Minas Gerais é majoritariamente formado por componentes da Parcela A, ou seja, componentes que não estão sob gestão da distribuidora.

Eduardo Mantovani também apresentou os investimentos para 2018. Serão R$ 69,7 milhões visando garantir mais confiança, tecnologia e qualidade nos serviços prestados aos clientes, sempre com foco em segurança. Entre as obras e ações, destacam-se:  elaboração de projeto e licenças para construção da subestação de Miradouro; reformas e modernizações de subestações; substituição de transformadores e obras de segurança, que consistem na substituição de cabos nus por cabos protegidos.

Outro assunto que chamou a atenção dos jornalistas foi a Tarifa Social de Energia Elétrica, no qual famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal ou que recebem algum dos amparos vinculados ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC podem obter até 65% de desconto na conta de energia. Em Minas, na área de concessão da Energisa mais de 35 mil clientes podem aderir ao benefício. Ações com a comunidade como Zé da Luz na Escola, projeto Nossa Energisa, eficientização energética em prédios públicos, além dos canais de atendimento também foram apresentados à imprensa.

45%

Encargos sob energia elétrica

Manovani salientou que existe um impacto de 45% na conta de energia elétrica que são impostos. E ressaltou sobre a bandeira vermelha que fará com que as contas de luz dos brasileiros fiquem mais caras em junho devido ao acionamento da chamada bandeira tarifária vermelha.

Reajuste Tarifário

O efeito médio a ser percebido pelo consumidor será positivo de 12,05%, ou seja, uma elevação tarifária a partir de 22 de junho de 2018. Para consumidor de baixa tensão (exemplo residências), o efeito médio será de 11,21%. Já para consumidor de alta e média tensão, o efeito médio será de 15,44%.

 

Manotvani falou também sobre Investimentos, projetos e ações em Cataguases. E disse que a italiana Enel pagou mais do que a Eletropaulo vale.

Veja a entrevista coletiva para todos os veículos da região.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEnergisa teve o menor aumento de energia em MG
Próximo artigoFuncionamento da Energisa durante a copa
Nelson Filho é coordenador da pastoral de Comunicação do Santuário de Santa Rita de Cássia, é presidente do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) em Cataguases, diretor responsável do Jornal Minas & Gerais (MTB 17.816), estudou Ciências Sociais na UFF em Niterói, Letras na FIC e Direito na SUDAMERICA.